Dança de salão – Lazer, atividade física ou terapia

Dança de salão

Ao longo dos anos de envolvimento com essa área, tenho ouvido e presenciado muitas explicações e teorias sobre os motivos mais importantes para se aprender e praticar a dança de salão.

Não conheço atividade mais democrática e abrangente e que não impõe obstáculos absolutos ou estabeleça preconceitos absurdos. Adultos, jovens, crianças e pessoas da melhor idade, dividem espaços, aulas nas inúmeras escolas, pistas e palcos.; negros, brancos, amarelos, índio, mulatos e mamelucos se misturam ritmicamente; altos, baixos, magros, magérrimos, gordinhos, obesos desafiam até mesmo o seu biótipo e a lei da gravidade; homens, mulheres, casados, solteiros, viúvos, namorados, noivos, juntados, democratas, republicanos, católicos, evangélicos, umbandistas, classe média, pobres antigos, ricos recentes ou o inverso: todos podem dançar.

A variedade de ritmos, estilos, níveis e locais são inúmeras e todos podem se aproximar da dança de salão e descobrir o seu mais importante benefício. Pessoalmente, acredito termos um conjunto enorme de vantagens ao praticarmos qualquer uma das inúmeras alternativas.